Marta saudando o Grêmio Recreativo Pombo Sujo

Publicado 22 de dezembro de 2015 por Ítalo de Melo Ramalho
Categorias: Sem categoria

É O FRACO! Apenas para avisar: Já não bastasse termos em nosso elenco de CANALHAS o melhor violonista José Augusto Costa Júnior, temos também a melhor jogadora de futebol do mundo! Marta também é do GRÊMIO RECREATIVO POMBO SUJO! Orgulhem-se meus caros irmãos e irmãs! Kkkkkkkkkk… A sinantropia encontra-se em fervoroso êxtase! Atestem aí! Kkkkkkkkk…

Pelé 97 gols, Marta mais de 100: Messi e Cristiano Ronaldo, respectivamente possuem 4 e 3 bolas de ouro, Martinha 5 bolinhas de ouro. Nenhum dos supra citados possuem algum vínculo com o Grêmio Recreativo Pombo Sujo, Marta é a encarnação da sinantropia mundial. Kkkkkkkkkkk… Sem falar que a inscrição do grego Savas, já foi homologado em diário oficial.

Marta, a extraterrestre! Ítalo, o fenômeno! Savas, o grego! E Esdras Fonseca Ramos, o papagaio! Kkkkkkkkkkk… Ficou massa demais! Essa menina é mundialmente conhecida. Poderia ter todos os receios para não fazer esse vídeo. Não só fez, como ainda brincou com o nosso sodalício. Exemplo de simpatia! De hoje em diante, o Grêmio Recreativo Pombo Sujo, talhou seu nome no mármore do mundo! Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk… É O FRACO!

 

Confraternização Sinantrópica, 2015

Publicado 22 de dezembro de 2015 por Ítalo de Melo Ramalho
Categorias: Fuleiragem

Transformar em palavras sentimentos, é por demais sacrificante para quem não domina à língua portuguesa e, como não bastasse, ter um reduzido teor vocabular. Mas tudo bem! Vamos em frente! Sábado último, foi realizado a segunda Confraternização do Grêmio Recreativo Pombo Sujo, no simpático e acolhedor Bar Stillo Sampa, no conjunto de Ponta Negra. Por toda a reunião, pairou o espírito da fraternidade e do respeito. Apenas, em algumas poucas ocasiões, o festival de caninagens emergiu na figura de um ou outro agremiado/a. Casos isolados! Kkkkkkk… Às lentes do agremiado Galego Júlio, captaram perfeitamente o primeiro momento da “inacabável” reunião. Vários momentos com vários confrades, garantiram a pluralidade de opiniões o que também garantiu o equilíbrio em e de todas as formas.

 

Caríssimos e Caríssimas, foi ESPETACULAR o convívio mais profundo com uma parte representativa desse inebriante sodalício sinantrópico. Sei que nas próximas reuniões (como sempre regadas a muita cerveja e cigarros), outros agremiados/as, que por motivos torpe ou motivos que assegurem a sua continuação no Grêmio, irão participar, diretamente, dessas reuniões dedicadas aos deuses Dionísio e Afrodite. Espero também encontrar novos agremiados/as. Obviamente que não sem antes, devassar a vida do fulano ou da fulana, e reparar em seu histórico pregresso se a sua conduta lhe permite receber o honroso manto sinantrópico.

 

Quero agradecer profundamente a Todos e Todas que acreditaram e aceitaram sonhar comigo.  O nosso Grêmio já fez e continuará fazendo história. Não da maneira que conhecemos, história rasa e outorgada pelo Estado ou empresas midiáticas ou as duas. Não! Fará sim, de forma que tatuará com ferro a víscera pulsante de cada agremiado, ferindo-o, indelevelmente, e o chagando de Esperança, Fé e Caridade.

 

Abraços, magote de Pombos Sujos! O NOSSO GRÊMIO É FODA! Kkkkkkkkkkkkkkk…

 

Taurus Caprus Catingueira.

 

 

X PÍLULA POÉTICA

Publicado 22 de setembro de 2015 por Ítalo de Melo Ramalho
Categorias: Sem categoria

X PÍLULA POÉTICA

Finalmente chegamos à maioridade vídeo-pombalínea. Chegamos ao décimo vídeo. O que significa tal feito? Não significa nada além da capacidade de sonhar por alguns instantes, destes Senhores e Senhoras que fazem e representam o sodalício sinantrópico potiguar. É isso o que a poesia faz. Esse estado de graça e maravilhamento,  no qual comungamos em rara simbiose, o prazer de pertencer ao mundo por vezes hostil à condição humana.

Se os Amigos e Amigas escutarem atentamente o poema “ A Morte do Touro Mão de Pau” de Ariano Suassuna, recriado a partir do “Romance do Boi da Mão de Pau” do cantador e poeta potiguar Fabião das Queimadas, entenderão o motivo pelo qual exalto a verdadeira Arte Nacional.

Como o Touro, convoco todos vocês a não esquivar-se diante da desonra. Que pulemos dos íngremes lajedos, e urremos juntos um canto forte, melodioso e redentor. Deixemos os homens com seus cavalos, e fiquemos com nossas Vidas. Um forte e afetuoso abraço em Todos e Todas.

Taurus Caprus Catingueira.

IX PÍLULA POÉTICA

Publicado 9 de setembro de 2015 por Ítalo de Melo Ramalho
Categorias: Sem categoria

E chegamos à nona “Pílula Poética”, nobres cavaleiros (é cavaleiro mesmo!) e aconchegantes Senhoras de peitos belos e macios. O movimento que distribui galhofas e socializa o riso na zona sul da capital potiguar, assegura que continua tão forte e criativo quanto à sua aparição inicial. O que, veementemente não acreditamos! E que, corajosamente não duvidamos! Esses marginais são dominados por uma violenta emoção artística.

Os afazeres domésticos, os ofícios e as cuidações, temperam o que aos fins de semana explode em espontaneidade e elegância. E quem discordará que esses jovens senhores não guardam uma peculiar elegância? kkkkkkk… O belo, como diz o meu Amigo José Augusto Costa Júnior, também poderá ser encontrado no grotesco. Mas me digam: por que dar ouvidos ao Júnior? Sua opinião é estéril e, por este motivo, é incapaz de fertilizar o germinante solo pombalíneo com suas (dele) agruras e tormentos unicelulares. Mesmo sendo ele, um sujeito admirado por sua verve artística, sua profundez intelectual e sua didática como docente. Kkkkkk…

Pois bem. O texto “declamado” ou “recitado” – confusão de significados apontada por Wendell Fernandes – é da autoria de uma caríssima jornalista e, para nossa fé e graça, também sinantrópica, Sheyla Azevedo. Obviamente, que o que tem a ser observado, é a qualidade do poema em prosa desse “documento” literário, que em seu inteiro teor, busca o não preenchimento artificial, superficial da Vida, produzido por uma sociedade ferozmente líquida, no dizer do sociólogo polonês, Zygmunt Bauman. O que surpreende e indica o texto, é a liquidez inclusive das palavras, quando por ora, a necessidade do silêncio não enodoaria o vernáculo e tampouco os sons encefálicos dos engenhos de ventos. Portanto, abrir às janelas é permitir a possibilidade de continuar o marcapasso do seu quotidiano trabalho. Sem esperar surpresas fora do real e da realidade. Sem esperar conspirações do universo e do pluriverso. Sem esperar da hostilidade, doçura.

Por último, porém não menos relevante, destaco a participação do nosso Amigo Sinantrópico, Wendell Fernandes! O velho Franja, abrilhantou ainda mais esse instante de comunhão literária, com a sua interpretação (perfeita!? kkkk…) e com a sua voz de locutor de FM (que ele acredita ter! kkkkkk…). Mui grato, meu Amigo!

Taurus Caprus Catingueira.

OBS.: Visitem o caderno de anotações eletrônico de Sheyla Azevedo. Segue o endereço: http://bichoesquisito.blogspot.com.br/.

Ventos doces por Sheyla Azevedo

Publicado 5 de janeiro de 2015 por Ítalo de Melo Ramalho
Categorias: Cultura, Literatura

http://bichoesquisito.blogspot.com.br/2015/01/ventos-doces.html

Os números de 2014

Publicado 29 de dezembro de 2014 por Ítalo de Melo Ramalho
Categorias: Sem categoria

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog.

Aqui está um resumo:

Um bonde de São Francisco leva 60 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 520 vezes em 2014. Se fosse um bonde, eram precisas 9 viagens para as transportar.

Clique aqui para ver o relatório completo

PÍLULA POÉTICA n. VIII

Publicado 16 de dezembro de 2014 por Ítalo de Melo Ramalho
Categorias: Cultura, Fuleiragem, Literatura

PÍLULA POÉTICA – VIII

 

E chegamos à oitava “pílula” desse alvissareiro ano de 2014. Com o término dessa convenção humana, inaugura-se um novo período na sinantropia que denominaremos de “Lustrar o Verbo”. Esperamos que os Senhores e as Senhoras continuem acompanhado esse Movimento que custodiado permanece nos limites dos cárceres das quimeras, e dele, não pretendem alforriar-se nem que a vaca tussa.

 

Com a edição dessa nova pílula, abre-se a possibilidade de enriquecimento da simplória manifestação poética no quesito sonoro dos etílicos recitais. Desta feita, a presença do trio mais que querido e admirado das bandas da tromba do elefante (Encanto/RN) e do sul Ceará (Ereré/CE), luziu as tardes de sexta e sábado passado. Sâmia, Rafaela e Laninha, sinantrópicas desde sempre, puseram cor ao concreto opaco dessas reuniões pombalíneas. Vestiram com altivez e honestidade o manto e o ideário dessa incontida calamidade imprecada nos hostes sulistas de nossa capital e nos que residem em outras cidades do Brasil, e que formam um exército de desarmados de pólvora e carregados de afeto em suas grandezas sociais e  individuais.

 

Sâmia presenteou-me em particular, recitando uns versinhos que escrevi em honra a memória do meu genitor Heronides Ramalho de Souza. Ao poema batizei de “Encantamento”, muito pela leitura de João Guimarães Rosa, no seu já clássico “Grande Sertão: Veredas”. É esse encanto que nutrimos e que nos alimenta quotidianamente e nos equilibra ou ao menos tenta, no afã de enfrentarmos com dignidade às intempéries da Vida e às fraquezas dos Homens. É isso!

 

Salve o Grêmio Recreativo Pombo Sujo!

 

Ítalo de Melo Ramalho.

 


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.