6º vídeo, Amy Winihouse, Mossoró e Carlos Lessa.

LADISLAU DOWBOR

Chegamos ao 6º vídeo da série “Desafios da Desigualdade: Tecnologia para a Inclusão Social” do Profº Ladislau Dowbor. Bem sabemos que as paixões, justificada pela peculiar falta do elemento racional completamente absorvido pelo o sentimento, restringe uma avaliação digna que alguns mestres merecem, não é razoável, tampouco inteligente, abster-se das opiniões de figuras relevantes para o conhecimento do nosso Brasil.
“Os processos redistributivos são essenciais. No caso brasileiro, com o Bolsa Família, o aumento da capacidade de compra do salário mínimo, o financiamento da agricultura familiar e outros programas, houve um aumento significativo, ainda que incipiente, da redistribuição. No médio prazo, no entanto, os programas têm de ir além da redistribuição, e organizar a inclusão produtiva. Nunca é demais lembrar que 51% da População Economicamente Ativa do Brasil está no setor informal”.

CARLOS LESSA

“Essa crise só surpreendeu quem seria surpreendido”.
“Eu quero é mais PAC.”
São com essas conclusivas afirmações que o pensador Carlos Lessa(pois o economista de formação já deu margem a interpretação multidisciplinar que só aos grandes é permitido ter, uma visão holística), inicia a sua inquirição concedida à revista “Desafios do Desenvolvimento” publicação do IPEA.
Defensor da regularização do mercado pelo Estado, motivo pelo qual o Brasil, com êxito, permanece vivo economicamente, interagindo sem o famoso complexo de vira-lata com as demais Nações, assumindo com vivacidade a sua soberania que, com relevância lhe chanta os marcos do descortinado progresso social, sedimentado na equidade do regime democrático de Estado.

http://desafios.ipea.gov.br/default.jsp

AMY WINEHOUSE

Confiram amigos a qualidade musical desta moça. É impressinante!

MOSSORÓ

A crise financeira atual, não diferente das passadas, afetou gravemente a arrecadação do município de Mossoró. Antes 27,  hoje 24 milhões de reais mensais. Advinharam? O corte de gastos “inevitavelmente” foi parar na secretaria de Cultura. Já foi anunciado o cancelamento do Auto da Liberdade, manifestação cultural que onerava em demasia os gastos do município. Mossoró sem pão e sem circo.

A antiga UDN, Arena, PDS, PFL e atualmente a fantasia partidária denominda de Democratas (DEM), dão nome aos mesmos indivíduos defensores do modelo de Estado Mínimo. Estes jamais se preocuparam com a condição humana da sociedade. Há pouco tempo, ouvia-se os comentários de que a cidade de Mossoró concorria ao título cidade/capital da cultura. Está aqui mais excelente ocasião para ler e ouvir o Profº Ladislau Dowbor ao invés de procurá-lo numa esquina.

Anúncios
Explore posts in the same categories: Cultura, Economia, Entrevista, Jornalismo, Política, Sociologia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: