Arquivo para outubro 2009

Dá pra tú?

16 de outubro de 2009

Toda responsabilidade de George Eduardo.

Pinga 

   O rico e o pobre deram uma chegadinha na zona do meretrício local.
   O rico pediu uma garrafa de champagne francês Don Perignon e também, a mulher mais gostosa e cara daquela zona.

   Arrancou as roupas da “donzela” e, com ela em pé, derramou champagne no reguinho formado pelos seios dela e tomou todo o líquido lá embaixo, na “pombinha” da mesma e fez uma saudação dizendo:

 – O dinheiro é justamente para me dar esse tipo de prazer!

   O pobre viu aquilo e pediu uma dose de Caninha  e, em seguida, pediu a mulher mais barata da zona e logicamente a mais feia.

   Tirou a roupa da piranha, virou-a de costas e derramou a cachaça nas costas da mesma e, com a boca no ruscutufo dela, tomou toda a pinga que escorria e saudou dizendo:*

   Pobre tem que tomar é no cu mesmo!

“Eu” ou “nós”

16 de outubro de 2009

Leiam este artigo escrito pelo Frei Leonardo Boff e analisem a dimensão do que é proposto por ele. Vejam:

http://mercadoetico.terra.com.br/arquivo/o-individualismo-tem-ainda-futuro/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=mercado-etico-hoje

Fonte jurisprudencial

16 de outubro de 2009

Editado mais um informativo do STF. Leiam: www.stf.jus.br

CPC

14 de outubro de 2009

Confiram esta matéria na página do Superior Tribunal de Justiça.

http://www.stj.gov.br/portal_stj/publicacao/engine.wsp?tmp.area=398&tmp.texto=94194

Fonte jurisprudencial

8 de outubro de 2009

Informativo de n. 561 do STF é publicado em sua página.

http://www.stf.jus.br

Reforma Agrária

6 de outubro de 2009

Reformar o grande latifúndio nacional é um caso de honra para o Estado Nacional. A divisão isonômica é parte de uma política pública que a anos esbarra na força política/econômica que os ruralistas encontram no Congresso Nacional. Vejam esta avaliação de Antônio Cechin e Jacques Távora Alfonsin do Censo Agropecuário divulgado esta semana.

http://mercadoetico.terra.com.br/arquivo/os-numeros-do-ibge-sobre-a-terra-e-a-reforma-agraria-no-brasil/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=mercado-etico-hoje

Até que enfim: o fim.

6 de outubro de 2009

“IHU On-Line – Por que afirma que o capitalismo é apenas um parêntese na história humana?

Anselm Jappe – Trata-se de uma formulação polêmica, porque o capitalismo existe há, no mínimo, 200 anos nos países desenvolvidos como Inglaterra. Há antecedentes do capitalismo na época da Renascença, remontando ao século XIV. Disse que o capitalismo é um parêntese na história para fazer uma objeção à apologia atual que o vê como uma realização necessária de toda a história. Critico a ideia de que a humanidade e a evolução avançam para algo melhor, e que o capitalismo seria uma espécie de apogeu da humanidade, uma forma de sociedade e de economia que vai permanecer para sempre. Muitas vezes, as apologias do capitalismo são feitas apresentando a democracia como uma forma finalmente encontrada para o convívio dos seres humanos. Assistimos, então, a uma espécie de ontologização do capitalismo. Isso consiste em dizer que pode haver diferentes modelos de capitalismo, mas ele se mantém no mesmo enquadramento do valor, do dinheiro, da democracia e do Estado. Não é apenas o pensamento burguês, mas boa parte também do pensamento que se proclama ser de esquerda, que se converteu a essa ontologização do capitalismo, incapaz de imaginar algo diferente “. Segue o link:

http://mercadoetico.terra.com.br/arquivo/o-capitalismo-e-um-parentese-na-historia-da-humanidade/?utm_source=newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=mercado-etico-hoje