Igualdade e Liberdade

Para descrever a conceituação dada por Norberto Bobbio aos postulados de igualdade e liberdade, é de bom alvitre definir, embora lacônico e superficialmente, o que significa a díade esquerda é direita. A esquerda tem por característica o desejo de mudanças que venham a imprimir no tecido social uma situação de progresso, portanto, mais igualitária, mais próxima da equidade e da justiça social; já a direita, prefere amarrar essas tranformações em nome da ordem que propõe limitar tais situações em nome de um conservadorismo anacrônico e de uma igualdade bio-natural.
Limitar um conceito relativo como é a igualdade, ideal de uma sociedade ordenada e justa, é necessário com diz Bobbio de três variáveis: “a. os sujeitos entre os quais se trata de repartir os bens e os ônus; b. os bens e os ônus a serem repartidos; c. o critério com base no qual os repartir.”
Citando Marx, Bobbio enuncia um princípio por àquele defendido: “ a cada um segundo a suas necessidades”, tendo como suplemento a consistente idéia que é na necessidade que os homens são naturalmente iguais. Tal síntese, é categoricamente contrária a informação principiológica defendida pelo modelo liberal consagrado nestas palavras: “a cada um segundo a sua posição”. As necessidades em diferentes aspectos do quotidiano social, transforma os homens em seres admoestados por uma avassaladora corrente (socialismo utópico) que prega no deserto o conceito de igualdade, impossível de realizar-se, senão pelo o rito dos reinos da necessidade para o da liberdade como informa Marx. A necessidade pela a necessidade não surtirá nenhum efeito que não seja paliativo. Alcançar a liberdade é para o homem a explosão máxima da sua integração com o mundo. É a complementação do ser social com o meio social. E como defende Bobbio: “ (…) a utopia de uma sociedade em que todos são iguais em tudo, mas como tendência, de um lado, a exaltar mais o que faz os homens iguais do que o que faz os desiguais, e de outro, em termos práticos, a favorecer as políticas que objetivam tornar mais iguais os desiguais”.
A liberdade não difere, não é estrangeira ao ideal de igualdade, também se caracteriza pela sua supremacia principiológica fundante em termos estritamentes abstratos. Porém, para a Ciência Política, o que nos interessa é saber a definição de liberdade e seu campo de trabalho.
Como aponta Bobbio, o contraste entre o ideal de liberdade e o ideal de ordem, exemplifica a complementaridade dos termos em questão como também qualifica as diferenças destes conceitos. Tanto a ordem como a liberdade é um bem comum a toda sociedade e, mesmo em posição constrastante, tendo uma como vigilante da outra, sua convivência deverá ser harmônica e ampla, mas com restrições que garantam a liberdade e a igualdade. “Enquanto a liberdade é um status da pessoa, a igualdade indica uma relação entre dois ou mais entes”, diz Bobbio a não simetria entre esses dois conceitos.

Anúncios
Explore posts in the same categories: Direito, Filosofia, Política, Sociologia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: